Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick


Os Vedas I
.

Por Raul Xavier
(1972)
.
Introdução

O termo sânscrito Veda significa "saber", "ciência", sendo a designação genérica da coleção de textos litúrgicos da primitiva fase do bramanismo, o vedismo. Esses textos denominam-se: 1 - Rigveda ou Veda das estrofes; 2 - Iajurveda ou Veda das fórmulas; 3 - Samaveda ou Veda das melodias; afinal, Atarvaveda ou Veda dos hinos e preces mágicas.
 

Rigveda

O mais antigo é o Rigveda com 1017 sutas ou hinos, aos quais se acrescentam onze, denominados Valakhilyas, que se supõe apócrifos, havendo portanto um total de 1028 hinos no Rig.

O texto do Rig está dividido por oito Astacas - oitavas - ou Kandas - seções - subdivididas em Adhyayas - capítulos -, com 2006 Vargas - classes - 10417 Rigs - versos - e 153.826 Padas ou vocábulos. Mas o Rig tem outra divisão: dez Mandalas - "círculos" - ou "classes" e 85 Anuvakas ou seções.

O teor religioso do Rig manifesta o politeísmo dos Arias, sendo dirigidos os hinos às divindades, personificações de fenômenos naturais. Essas divindades dispõem de vários poderes, sendo quase sempre invocadas para beneficiarem seus de- votos. O maior número dos hinos é dirigido a Agni, deidade que personifica o fogo.
 

Iajurveda

O segundo Veda é o Iajur, coleção das fórmulas sacrificiais. Compõe-se de hinos extraídos do Rig muitos dos quais alterados. Tais diferenças, segundo John Dowson, talvez se expliquem ou por alguma diferença no texto copiado ou por exigências das práticas-rituais. O Iajur é o breviário dos oficiantes com O texto disposto segundo o rito de cada sacrifício.

Constituiu-se portanto em objeto de estudo nas diversas Escolas vedantinas. São duas as coleções (samhitas): a Taittiriya, vulgarmente conhecida como Iajur Negro, já conhecido muitos séculos antes da Era cristã; a Vajasaneyi, denominada Iajur Branco. O conteúdo dos textos é quase o mesmo em uma e outra samhita, havendo porém diferença no arranjo da matéria. Essa diversidade se explicaria pela ação de Yajnavalquia, a quem se atribui a elaboração do Iajur Branco.

No Iajur Negro, os yajus - fórmulas - e mantras - orações - estão intercalados de explicações em prosa. O yaju é uma fórmula para ser murmurada pelo advariu, durante a execUção do sacrifício. Essas fórmulas incluem invocações aos utensílios do culto, à oblação, ao material usado, etc.
 

Samaveda

O texto do Samaveda compõe-se de estrofes, às quais se ajustam os cânticos. O canto, segundo o metro dos versos das estrofes, invoca a divindade à qual se oferece o sacrifício e o respectivo cerimonial. Segundo Luís Renou, a importância do Samaveda acha-se não propriamente no texto, apoiado no Rig, mas na técnica muito precisa da música litúrgica.
 

Atarvaveda

Os textos védicos, isentos de sincretismo, constituindo a Trayi Vidiyâ - tríplice corpo de doutrina, estavam no Rig, no Iajur e no Sarna Vedas. Desse corpo de doutrina ou canon excluía-se o Atarva. Carlo Formichi dá a razão da resistência dos brâmanes à admissão do Atarva no conjunto dos textos védicos. Na Índia antiga, não havia somente brâmanes. Os guerreiros, os pastores, os agricultores, as mulhers, toda essa gente tinha suas crenças, usos, costumes, que haveriam de tomar forma litúrgica.

Por isso, observa Formichi, o padre que aparece no Atarva é aquele que está em contato com o povo, sendo forçado a adaptar sua teologia incipiente, sua teosofia, às crendices, às superstições, às necessidades religiosas do povo. Assim, lêem-se no Atarva hinos expressivos de especulações metafísicas, conjurações mágicas, ritos associados à vida familiar e às preocupações de caráter prático.

A vida cotidiana dos hindus está refletida no Atarvaveda. Observa Oldenberg: no Atarva o povo fornece a matéria que o sacerdote elabora.

Afinal, foi o Atarva aceito como livro digno de estar nas mãos do brâmane, obtendo a honra de fornecer aos príncipes o capelão da Corte, o purohita -, padre atarvânico, escolhido para conselheiro político e diretor espiritual do rajá. Diz Bloomfield que o Atarva é "um documento inestimável para a história das instituições da Índia antiga, não menos que para a história etnológica do gênero humano, um documento tão precioso sob este ponto de vista, como o Rig é precioso sob o ponto de vista da mitologia, da religião formal e hierática".
 

Quanto à idade do Atarva, esta pode ser considerada sob dois pontos de vista: 
1o - o do material antropológico, demótico, sobre o qual se ergue o texto; 
2o - o do teor lingüístico desse texto.

Sob o ponto de vista antropológico, o Atarva é de muitos séculos anterior ao Rig. O mundo de idéias refletido no Atarva, vinculado à magia, faz que a sua origem esteja afastada da época na qual o Atarva recebeu dos brâmanes a redação que por fim levou a casta sacerdotal a admiti-lo no canon védico. Mas a linguagem, os metros poéticos, os dados geográficos, os zoológicos, concorrem para demonstrar que o texto do Atarva é posterior ao do Rig.

O Atarvaveda compõe-se de 731 hinos, distribuídos em 20 livros, dos quais dois - o 15 e o 16 -, são redigidos em prosa. O conteúdo é muito variado. A maior parte dos hinos tem por finalidade cuidar de doenças, expulsar demônios, obter a saúde e a longevidade, amaldiçoar inimigos e feiticeiros, afastar desgraças e perigos, obter a prosperidade de brâmanes e de monarcas, auxiliar a satisfação de desejos eróticos.

Essa é a matéria de Cunho popular, ao lado da qual aparecem alguns hinos com valor literário e filosófico. Invocam-se os deuses, sem prejuízo do caráter mágico, compulsório, da palavra como instrumento de realização de desejos, obtenção de favores etc.
 



 
 
   Vai para Vedas II
   Vai para Índice da Tradições Religiosas


Quem somos O Imagick A Cidade das Estrelas A Irmandade das Estrelas Programação de Atividades Nossa Turma (Biografias) Contatos / Redes Sociais Cursos e Vivências Cursos Imagick ao Vivo Cursos e Vivências em CDs Cursos e Vivências em DVDs Programe sua Mente Reprograme sua Mente Vivências Externas Consultas Online Consulta Gratuita de Tarot I Ching Gratuito Runas Grátis Consulta ao Mestre Nazareno Reicki a Distãncia Oráckulo - Mensagem do Dia Pantáculos Zodiacais O Baú Magicko da Bruxa Pratickas Saude Magicka Treinamentos Magickos Meditações Magickas Orações Magickas Pensamento Magicko Consultas Pessoais Consulta Particular de Tarot Regressão de Memória Criação de Pantáculos Artigos Novidades Psiquê Mágicka Sistemas Mágickos Artigos Intrigantes Mistérios Curiosos Tradições Religiosas Comportamento Mágicko Música Magicka Notícias Mágickas Divertimentos Magickos Matemática Curiosa Variedades Significativas Ilusões Magickas Paginas Selecionadas Boletins Magickos Midia Fotos Magickas Videos Magickos Livros e Publicações Links Parceiros Imagicklan Nossa História Amor Incondicional Anjos e Demônios Consultas Gratis Vossos Deuses Deuses Egípicios Tipos de Magia Ser Bruxa Imagens de Jesus Reprograme sua Mente Cura pelo Pensamento Poder da Palavra Programação Mental Vida Secreta de Jesus A Pessoa de Jesus Tratamento Vidas Passadas Sistemas Alternativos Ritual de Pacto de Amor Bruxarias Magickas Runas e Numerologia Inscrição