Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
.
.
O Lado Pagão das
Festas Cristãs
.
Os povos antigos faziam rituais mágico religiosos para controlar certos fatores que poderiam representar reveses em suas vidas. O tempo passou, os desvios foram se sucedendo e hoje em dia esses rituais aparecem, bem deturpados, em várias festividades cristas.

Por Elsie Dubugras

Festejamos a Páscoa com  ovos de chocolate deixados pelo coelhinho; pulamos no Carnaval; colocamos cinzas na testa na quarta feira de Cinzas; e nos penitenciamos durante quarenta dias da Quaresma. Mas será que sabemos por que fazemos tudo isso e qual a verdadeira origem desses costumes e rituais? Uma pesquisa em profundidade foi feita para descobrir a sua procedência, e trouxe respostas das mais interessantes a curiosas.
 

Carnaval

Diz a Encyclopaedia Britannica que a palavra "carnaval" poderia ter se originado do latim medieval carnem levare ("leve se embora a carne") ou carnem levarium ("remova a carne"). A dedução parece lógica, pois o Carnaval é um festejo que antecede a Quaresma, quando a Igreja católica recomenda a abstinência de
carne.

Outras fontes consultadas declaram que o Carnaval está intimamente ligado a uma festividade pagã da antiga Roma: a Saturnália, durante a qual os foliões dançavam a pulavam para o alto.
 

Esta festa, todavia, não se destinava a divertir o povo como o Carnaval de hoje em dia, pois era um ritual mágico/homeopático para incentivar as plantas a crescer. Em alguns desses festejos, os foliões usavam máscaras e desferiam golpes para o ar. Por vezes os golpes eram dirigidos aos que estavam por perto, mas todos tinham uma só finalidade: assustar e afugentar os demônios que prejudicavam as colheitas e o povo.

Em seu livro O Ramo de Ouro, Sir James G. Frazer observou que ainda hoje os camponeses de certas regiões da Europa   geralmente em épocas predeterminadas, como na terça feira que antecede o Carnaval  dão pulos para o alto, a fim de incentivar suas plantas a crescer.

Na quarta feira de Cinzas, o primeiro dia após o Carnaval e o início da Quaresma, os padres da Igreja católica romana costumam fazer uma cruz na testa dos fiéis com as cinzas conseguidas das palmas bentas do domingo de Ramos da Quaresma anterior. 
 

Diz Frazer que esse costume se origina no Antigo Egito, quando ainda se praticavam sacrifícios humanos. A vítima era sempre um homem de cabelo vermelho, pois essa cor representava o cereal maduro. Depois de morto e queimado, suas cinzas eram espalhadas pelos campos para que as colheitas fossem abundantes. Todavia, quando se tornava necessário expulsar os demônios que infestavam o lugar, os egípcios também usavam ramos de plantas frescas ou as queimavam e aproveitavam as cinzas.

Deve se observar que a cerimônia das Cinzas só começou a ser usada pela Igreja nos primeiros séculos da era cristã. O ritual era a forma empregada pela Igreja para admitir os penitentes à comunidade; na ocasião, eles se vestiam com roupas de saco.

Depois do século 10 d.C., toda a congregação cristã, as pessoas de fora que quisessem participar e até os padres podiam tomar parte no ritual e na aspersão de cinzas.

Quaresma

A quaresma propriamente dita equivale ao tempo em que as pessoas com doenças contagiosas ficavam em isolamento. Durante esse período, fazia se a limpeza e a purificação do lugar onde o doente morava a queimava se a sua roupa. De início, o isolamento era de trinta dias a chamava se trintena, mas ele foi depois aumentado para quarenta dias a passou a chamar se quarentena, palavra que ainda hoje é usada.

Todavia, segundo a Igreja católica, o tempo de Quaresma define o período que Moisés esteve no monte aguardando as tábuas da lei e os dias que Jesus passou no deserto, orando e jejuando. Por este motivo, exortam se os fiéis a obedecer a certos rituais, fazer penitências, dar esmolas, orar e jejuar, tudo em preparação para a Páscoa, o dia em que se celebra a ressurreição de Cristo.
 

Por jejum deve se entender a abstenção parcial ou total de alimentos em certos dias. A prática não se originou com os cristãos; é antiqüíssima, e os povos primitivos jejuavam antes de processar as colheitas e durante certos períodos na primavera e no outono. Também se abstinham de comer antes das caçadas, das cerimônias de iniciação e de alguns ritos mágicos e/ou religiosos, cujas origens se perdem no tempo. Além disso, jejuava se, quando ocorria uma morte ou, então para apaziguar alguma divindade irada.

Outro s grupos s religiosos também praticam o jejum: os judeus na celebração do Yom Kippur, o Dia da Reconciliação, e os muçulmanos durante o mês de Ramadã.

O que impele as pessoas ou as comunidades religiosas a diminuir a ingestão de alimentos? Dizem os conhecedores do assunto que existem três grandes categorias de jejuadores. A primeira engloba os que fazem isso para conseguir poderes mágicos ou aumentar os que já possuem e, assim, dominar as forças da natureza a outras. Nessa classe estariam os xamãs, os pajés, etc. Na segunda categoria encontram se os que praticam a abstinência com o intuito de fortalecer sua própria fibra moral e, também, a da comunidade a que pertencem. Um exemplo moderno é o hindu Mahatma Gandhi. Em terceiro lugar estão as comunidades religiosas que tentam controlar seu(s) apetite(s) oferecendo penitência a Deus, categoria em que estariam enquadrados os cartusianos, as carmelitas, etc.

Páscoa

A Páscoa é uma festa móvel, isto é, não cai no mesmo dia todos os anos. Para descobrir a data em que será celebrada, é preciso localizar o primeiro domingo depois da primeira Lua cheia da primavera de Roma (hemisfério norte), usando os critérios gregorianos. No Brasil (hemisfério sul), o cálculo corresponde à primeira Lua cheia de outono. Aqui, o outono inicia se no dia 21 de março; portanto, tendo a Lua cheia deste ano ocorrido no dia 22 de março, a Páscoa de 1989 foi celebrada no dia 26 de março.

A Páscoa é o dia em que celebra se a ressurreição de Cristo. Todavia, até o século IV, ele era consagrado à comemoração da ressurreição do deus do Sol, Mitra, cujo aniversário de nascimento, em 25 de dezembro, coincide com o de Jesus. 
 

Qual a razão de festejar se a Páscoa com ovos? Porque os ovos simbolizam a vida nova e, portanto, a ressurreição. Antigamente, em especial no norte da Europa, o povo não costumava comer ovos durante a Quaresma, mas no sábado de Aleluia (o dia que antecede a Páscoa) as pessoas cozinhavam os ovos que tinham recolhido a os pintavam com cores alegres. No dia da Páscoa, eles eram dados aos amigos a parentes ou escondidos nos jardins e quintais para que as crianças os procurassem. Dizia se que o coelhinho deixara os ovos lá... 

Nos Estados Unidos há um costume interessante: para ter sorte, as pessoas rolam ovos coloridos e pintados nos gramados da Casa Branca, a residência do presidente americano.

Mas como é que o coelhinho entrou nessa história toda? Porque esse simpático animal assemelha-se à lebre que, no Antigo Egito, simbolizava a fertilidade e a periodicidade humana e lunar. Aos poucos, a imagem da lebre chegou à Europa, transformou se em coelho a foi adotada pelo povo.

São João, o dia dos namorados

Vamos ver agora o que há sobre o dia dos namorados tradicional: o dia de São João, celebrado com festa em 24 de junho. Segundo Frazer, esse é o dia do solstício, quando o Sol chega ao máximo, pára a começa a descer.

Como o evento era temido pelo povo antigo, naquela data as pessoas praticavam diversos rituais que seriam de defesa própria da comunidade, para auxilio em casos de doença, para a melhoria das colheitas, etc. Com estes fins em vista, o povo reunia se no dia do solstício ao redor de fogueiras, girava uma roda e fazia procissões pelos campos, todos segurando tochas acesas.
 

Além dessas fogueiras e neste mesmo dia, os moços juntavam ossos, lixo e outros produtos que, queimados, produziam grossos rolos de fumaça. Essa fumaça tinha uma finalidade toda especial: servia para afugentar os dragões que, copulando no ar, deixavam cair seu sêmen e, assim, envenenavam as águas . . .

O solstício de verão é festejado ainda hoje pelos muçulmanos do norte da África, por diversas tribos árabes e pelos berberes, uma raça da África setentrional. 
 

Eles também acendem fogueiras naquele dia, mas jogam no fogo certas plantas e ervas aromáticas que produzem uma fumaça perfumada. Os participantes aproximam se e se expõem a fogueira tentando dirigir a fumaça para suas casas a plantações. Segundo crêem, ela limpa e cura. Essas pessoas também pulam sobre as fogueiras, um costume conhecido e praticado no interior do Brasil. Além disso, retiram gravetos em chamas, das fogueiras, que são usados para incensar as casas As próprias cinzas são utilizadas para massagens pelo corpo e no couro cabeludo.

Com esses dados, vê se logo que as festas juninas e outras anteriormente citadas pouco têm de cristão. São simpáticas festividades pagãs, de remotíssima origem, algumas celebradas por povos que ainda hoje não seguem os ensinamentos cristãos.
 
 


 

,;



 

   Para ir ao Índice de Assuntos Inquietantes
   Para ir ao Índice de Geral do Imagick

 

Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
(0xx) (11) 3813.4123
 
 
 


imagick@imagick.org.br
 
 
 


Página desenvolvida por:
Imagick Edições e Comunicações Visuais


 
 

Quem somos O Imagick A Cidade das Estrelas A Irmandade das Estrelas Programação de Atividades Nossa Turma (Biografias) Contatos / Redes Sociais Cursos e Vivências Cursos Imagick ao Vivo Cursos e Vivências em CDs Cursos e Vivências em DVDs Programe sua Mente Reprograme sua Mente Vivências Externas Consultas Online Consulta Gratuita de Tarot I Ching Gratuito Runas Grátis Consulta ao Mestre Nazareno Reicki a Distãncia Oráckulo - Mensagem do Dia Pantáculos Zodiacais O Baú Magicko da Bruxa Pratickas Saude Magicka Treinamentos Magickos Meditações Magickas Orações Magickas Pensamento Magicko Consultas Pessoais Consulta Particular de Tarot Regressão de Memória Criação de Pantáculos Artigos Novidades Psiquê Mágicka Sistemas Mágickos Artigos Intrigantes Mistérios Curiosos Tradições Religiosas Comportamento Mágicko Música Magicka Notícias Mágickas Divertimentos Magickos Matemática Curiosa Variedades Significativas Ilusões Magickas Paginas Selecionadas Boletins Magickos Midia Fotos Magickas Videos Magickos Livros e Publicações Links Parceiros Imagicklan Nossa História Amor Incondicional Anjos e Demônios Consultas Gratis Vossos Deuses Deuses Egípicios Tipos de Magia Ser Bruxa Imagens de Jesus Reprograme sua Mente Cura pelo Pensamento Poder da Palavra Programação Mental Vida Secreta de Jesus A Pessoa de Jesus Tratamento Vidas Passadas Sistemas Alternativos Ritual de Pacto de Amor Bruxarias Magickas Runas e Numerologia Inscrição