Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
..
..
Uma Nova História da Humanidade


Nos últimos anos, varias descobertas arqueológicas vêm causando polêmica no meio científico, e têm levado alguns pesquisadores a reforçarem suas idéias a respeito da existência de civilizações desenvolvidas num passado remoto do planeta. Entre os achados, o "mapa do Criador" é o mais recente a espantoso.

Não é de hoje que alguns pesquisadores independentes   como os controversos Erich von Daniken, Robert Charroux e outros vêm dizendo que existem mais coisas no passado remoto da civilização humana do que sonha nossa filosofia. Geralmente atacados por todos os lados, eles devem estar rindo à toa nos últimos anos. Isso porque uma série de novas descobertas arqueológicas parece indicar uma tendência para uma revisão radical da história dos primórdios da civilização humana.

É verdade que, entre os pesquisadores independentes, muitos eram cientistas, ainda que desacreditados por assumirem uma postura considerada radical, propondo a existência de civilizações desenvolvidas milhares de anos antes da época até então considerada pelos estudos e pesquisas oficiais da História e da arqueologia. E os milhares de anos que se pretendia recuar a civilização no planeta podem ser muito mais do que se imagina, caso seja comprovada a veracidade do achado mais recente, que rendeu uma reportagem no Pravda On Line, de Moscou. 

A matéria, com o título “O Mapa do ‘Criador’” (The Map of "The Creator"), fala sobre a descoberta do cientista Alexander Chuvyrov, da Bashkiria State University, que encontrou uma placa de pedra que pode ser datada em 120 milhões de anos de idade. O detalhe é que a pedra apresenta um mapa da região dos montes Urais, na atual Rússia, detalhando a existência de canais e imensas barragens não naturais, estendendo se por doze mil quilômetros, além de inscrições parecidas com hieróglifos. Inicialmente, pensava-se que as inscrições fossem um idioma chinês antigo, mas descobriu-se que se tratava de uma linguagem silábica hieroglifica de origem desconhecida.
 

Em 1995, quando realizava uma expedição na região da Bashkiria, Rússia, ele descobriu algumas notas datadas do século XVIII, que se referiam a 200 placas brancas de pedra contendo sinais e ornamentos que foram examinadas por cientistas russos nos séculos XVII e XVIII próximo da vila de Chandar. Em 1998, com uma equipe composta por estudantes universitários, Chuvyrov tentou encontrar essas pedras nos locais em que se acreditava que poderiam estar, mas sem sucesso, de modo que pensou tratar se de uma lenda. Mas, em 1999, um morador da vila de Chandar mostrou lhe uma pedra que estava enterrada em seu quintal. Ela tinha 148 centímetros de altura, 106cm de largura e 16cm de espessura. Retirada do local, foi levada para a universidade e, quando limpa, revelou a existência de um mapa em relevo.

Depois de ter sido examinada por inúmeros especialistas, chegou se à conclusão de que se tratava de um mapa dos Urais. Mais que isso: um exame por raio X mostrou que o mapa foi realizado com a utilização de mecanismos de alta precisão, e não por mãos humanas. 
 
 

Mapa do Criador

O bloco é constituído por três níveis: o primeiro, com 14cm de espessura, é de dolomita; o segundo, de diopsita (um tipo de diamante), com um tratamento cuja tecnologia não é conhecida da ciência moderna; e o terceiro, de um tipo de porcelana, com apenas dois milímetros de espessura, que protege o mapa de impactos externos.

Também foram encontradas duas conchas, incrustadas na superfície do mapa, uma com 500 milhões de anos de idade, e outra com 120 milhões. A análise cartográfica está sendo realizada no Centre of Historical Carthography, Wisconsin, EUA, e já se confirmou tratar se de um mapa tridimensional, que só poderia ser utilizado com o propósito de navegação aérea, e que teria de ser feito com a utilização de fotografia aeroespacial. O trabalho dos americanos só deverá ser completado em 2010, mas o mapa já está deixando os técnicos maravilhados. Segundo Chuvyrov, para mapear apenas uma montanha é necessária uma tecnologia de supercomputadores e observação aeroespacial a partir da Shuttle. Sendo assim, ele não tem a menor idéia de quem poderia ter criado o mapa e, como não gosta de conversas sobre OVNls e extraterrestres, preferiu chamar o autor do mapa simplesmente de "o criador".
 

Não é por acaso que o físico e matemático Chuvyrov diz que "quanto mais eu aprendo, mais eu percebo que não sei nada". Em maio, o cientista participou de uma entrevista coletiva realizada on line, no www.pravda.ru, com a participação de veículos de todo o mundo e as perguntas apresentadas demonstravam a incredibilidade total. Parece estar havendo um certo receio da imprensa em lidar com a questão, talvez esperando uma confirmação ou negação vinda de outras fontes científicas reconhecidas.

Apesar de alguns cientistas demonstrarem reticência ao comentar o assunto, os que estão envolvidos no projeto de pesquisa do bloco de pedra já começam a pensar que ele é apenas um fragmento de um grande mapa da Terra, acreditando se que ainda existam 348 fragmentos semelhantes. Nas proximidades de Chandar, os cientistas pegaram 400 amostras de solo a chegaram à conclusão de que o mapa deveria estar situado na garganta da montanha Sokolinaya e, durante a época glacial, teria sido despedaçado.
 

Na entrevista coletiva no Pravda, Chuvyrov se recusou a falar sobre o que o mapa pode dizer sobre nosso passado, entendendo que esses estudos fogem de sua área de atuação, a que uma equipe internacional de pesquisadores deve se dedicar a isso dai em diante. No entanto, ele deixou bem claro que não se trata apenas de um pedaço de pedra, mas de uma placa de pedra construída artificialmente, da mesma forma que o mapa. "O fato de que a civilização (que o construiu) era altamente desenvolvida", disse Chuvyrov, "pode ser comprovado pela inexistência de um mapa tridimensional do mundo nos dias atuais. Outra coisa que pode comprovar é o conhecimento de uma linguagem escrita a de leis físicas a matemáticas".

A noticia da descoberta do professor Chuvyrov pode se estabelecer como a mais espetacular dos últimos tempos, mas não é a única que vem movimentando a arqueologia mundial. Recentemente, em investigações realizadas no golfo de Cambay, Índia, pelo National Institute of Ocean Technology, foi descoberto um sítio arqueológico no fundo do oceano, que pode recuar o início da civilização indiana em até cinco mil anos. Alguns dos objetos encontrados no oceano indicam a existência de estruturas construídas por seres humanos há cerca de 9500 anos.
 

As estruturas encontradas a cerca de 40 metros de profundidade foram consideradas como sendo as fundações de duas cidades, cada uma com mais de l 11Km de largura, e a datação pode ser feita a partir de fragmentos de cerâmica e outros artefatos retirados do local. Uma das considerações dos cientistas é que civilizações mais antigas podem ter desaparecido quando o nível dos mares subiu com o final da idade do gelo, por volta de 8000 a.C. No entanto, também existem posturas mais céticas, entendendo que ainda não está comprovado que se trata de uma civilização existente no local, e mesmo que a datação possa não ser a indicada pelas pesquisas iniciais.

A reticência ao se referir a descobertas arqueológicas é comum. O mesmo ocorreu em 1985, quando o mergulhador Mhachiro Aratake descobriu estruturas no fundo do mar, próximas da ilha de Yonaguni, Japão. 
 

Descobertas arqueológicas da ilha de Yonaguni

Após as primeiras investigações, tudo indicava que se tratava de construções artificiais, ainda que grande parte dos cientistas preferisse assumir que elas eram estruturas naturais. 
 

O geólogo Robert M.Schoch, no entanto, pesquisou no local a afirmou que a construção principal   chamada Monumento, com 50m de extensão, 20m de largura a 20m de altura tem forma piramidal, com degraus ou plataformas muito parecidas com as construções encontradas na América, especialmente o Templo do Sol, próximo a Trujillo, no Peru. Chegou-se a levantar a hipótese de que as construções teriam cerca de dez mil anos de idade, a também aqui a idade é calculada basicamente tendo em conta o início da idade do gelo e a inundação conseqüente, que teria coberto as estruturas.
 

Na entrevista dada por Chuvyrov, levantou se a questão de que a teósofa Helena Petrovna Blavatsky (1831 1891) já se referia à existência de uma civilização, milhões de anos antes da nossa. O cientista não respondeu, afirmando que nada conhecia sobre teosofia, mas que sua assistente, a pós graduanda chinesa Huang Hong, era uma especialista no assunto.

Esse tipo de especulação parece ser mais do que normal em situações como essa. O mesmo ocorreu quando da descoberta das ruínas de Bimini, no mar do Caribe, em 1968, quando se falou que poderia tratar-se das ruínas da Atlântida. Hoje, muitos especialistas insistem que não se trata de construções artificiais, mas sim naturais, a não se tem ouvido falar muito a respeito de investigações no local.

Uma situação semelhante voltou a surgir em 2000, quando foi anunciada a descoberta de ruínas submersas nas proximidades de Cuba. A pesquisa foi realizada pela Advanced Digital Communications, uma empresa privada do Canadá, em colaboração com o governo cubano. A idéia inicial era encontrar navios afundados a informações sobre a influencia das correntes no clima do planeta.
 

Com a utilização de equipamentos sofisticados de prospecção, inclusive sonares, robôs a submarinos, as primeiras notícias davam conta de que tinham sido encontradas várias estruturas, algumas semelhantes às da cidade de Teotihuacán, no México. Foi detectado um platô a cerca de 800m de profundidade, e as imagens mostravam construções urbanas cobertas por areia, com formato semelhante ao de pirâmides, estradas e prédios.

Posteriormente, cientistas da Academia Cubana de Ciências chegaram a afirmar que não estava absolutamente comprovado tratar se de construções humanas, e alguns chegaram a dizer categoricamente que eram formações naturais. Já a engenheira oceanográfica da empresa canadense, Paulina Zelitsky, parece não ter dúvida, afirmando que as pedras utilizadas nas construções são imensas, e que o local deve ter sido construído numa época em que a região estava acima do nível do mar, o que recuaria sua provável idade para, pelo menos, seis mil anos, ou cerca de 1500 anos antes da construção das pirâmides do Egito. Também disse que as construções estão dispostas como se constituíssem realmente uma área urbana.

Na América do Sul, as pesquisas mais recentes envolvendo a civilização conhecida como Caral, no Peru, mostram que pirâmides já eram construídas há cerca de cinco mil anos, na mesma época em que os egípcios levantavam seus monumentos. 
 

Caral - Peru

A descoberta também pode levar a transformações radicais na história das Américas; não é de hoje que pesquisadores à margem da chamada "ciência oficial" afirmam que Tiahuanaco é muito mais antiga do que se imagina, podendo atingir a idade de vinte mil anos.

Tudo indica que a história do mundo pode estar mudando, a radicalmente. Ainda vão se passar muitos anos antes que essas pesquisas sejam finalizadas, e talvez ainda mais até que as descobertas sejam assimiladas pela comunidade científica. Mas tudo indica que muitos pesquisadores, tão combatidos no passado, não estavam assim tão distantes da realidade.
 
  



   Para ir ao Índice de Assuntos Inquietantes
   Para ir ao Índice de Geral do Imagick


 

Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
(0xx) (11) 3813.4123
 
 


imagick@imagick.org.br
 
 
 


Página desenvolvida por:
Imagick Edições e Comunicações Visuais


Quem somos O Imagick A Cidade das Estrelas A Irmandade das Estrelas Programação de Atividades Nossa Turma (Biografias) Contatos / Redes Sociais Cursos e Vivências Cursos Imagick ao Vivo Cursos e Vivências em CDs Cursos e Vivências em DVDs Programe sua Mente Reprograme sua Mente Vivências Externas Consultas Online Consulta Gratuita de Tarot I Ching Gratuito Runas Grátis Consulta ao Mestre Nazareno Reicki a Distãncia Oráckulo - Mensagem do Dia Pantáculos Zodiacais O Baú Magicko da Bruxa Pratickas Saude Magicka Treinamentos Magickos Meditações Magickas Orações Magickas Pensamento Magicko Consultas Pessoais Consulta Particular de Tarot Regressão de Memória Criação de Pantáculos Artigos Novidades Psiquê Mágicka Sistemas Mágickos Artigos Intrigantes Mistérios Curiosos Tradições Religiosas Comportamento Mágicko Música Magicka Notícias Mágickas Divertimentos Magickos Matemática Curiosa Variedades Significativas Ilusões Magickas Paginas Selecionadas Boletins Magickos Midia Fotos Magickas Videos Magickos Livros e Publicações Links Parceiros Imagicklan Nossa História Amor Incondicional Anjos e Demônios Consultas Gratis Vossos Deuses Deuses Egípicios Tipos de Magia Ser Bruxa Imagens de Jesus Reprograme sua Mente Cura pelo Pensamento Poder da Palavra Programação Mental Vida Secreta de Jesus A Pessoa de Jesus Tratamento Vidas Passadas Sistemas Alternativos Ritual de Pacto de Amor Bruxarias Magickas Runas e Numerologia Inscrição