Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick

NOSSA TURMA

Nietzsche
Friedrich Wilhelm Nietzsche
(Röcken, 15 de Outubro de 1844 — Weimar, 25 de Agosto de 1900


 
 Nietzsche nasceu no seio de uma família Luterana 
e era intenção fazer dele um pastor como seu pai.

Porém, o infortúnio bateu cedo em sua porta, 
pois, aos quatro anos faleceu seu pai 
e pouco tempo depois morreu seu avô.

A família passa por sérias necessidades que o fizeram 
ir perdendo a fé durante sua adolescência. 
Isto, acrescido aos seus estudos de filologia 
afastam-no definitivamente da tentação teológica, 
como ele diria mais tarde.

Formou-se em filologia clássica nas universidades de Bonn e Leipzig, voltando-se ao estudo da teologia e filosofia. 


Participou na guerra franco-prusiana (1870-71), no corpo de saúde. A experiência da violência e o sofrimento chocam-no profundamente.  Por fim, teve de abandonar o serviço militar depois de cair de um cavalo.
 
Nietzsche

Foi professor de língua e literatura grega na Universidade da Basilea, onde conheceu Richard Wagner. 
 

Wagner

Ambos iniciaram ali uma amizade que, com o passar do tempo, irá se deteriorando até que, em 1869, romperam. Entretanto música de Wagner influenciou poderosamente a Nietzsche, deixando-lhe marcas que duraram toda a vida.

Adota nesta ocasião a nacionalidade suíça e durante dez anos desenvolve a sua acuidade filosófica no contacto com pensamento grego antigo - com predileção para os pré-socráticos, em especial para Heráclito e Empédocles.
 

Heráclito

Em 1878 Nietzsche teve de abandonar a docência por problemas de saúde. Sua voz, inaudível, afasta os alunos. Começa então uma vida errante em busca de um clima favorável tanto para sua saúde como para seu pensamento (Veneza, Gênova, Turim, Nice, Sils-Maria...) : "Não somos como aqueles que chegam a formar pensamentos senão no meio dos livros - o nosso hábito é pensar ao ar livre, andando, saltando, escalando, dançando...”

 Foi nesta viagem que, em Roma, conheceu a Lou André-Salomé, que se mostrou interessada por ele, ele apaixonou-se e a pediu em casamento.
 


Lou Andrpé-Salomé

Porém, a recusa dela impôs a Nietzsche uma forte depressão. 

Em Turín, em 1889, foi acometido por crises de loucura, produzida por uma paralisia cerebral atribuída a uma antiga sífilis. Foi internado num sanatório na Basilea, donde recebeu os cuidados de sua mãe e de sua irmã. 
A doença não mais lhe abandonará até a sua morte, que aconteceu em 1900, em Weimar. 
 

Com sua mãe

A leitura, durante sua estadia em Leipzig de "O mundo como vontade y representação", de Schopenhauer, influenciou grandemente o seu pensamento. 

Era possuidor de um grande talento literário e seus textos eram revestidos por uma grande expressividade poética. 
 

Nietzsche

Sua idéia central é a afirmação da vontade como motor da vida humana frente a la tirania imposta pela razão. É por isto um autor vitalista (doutrina que afirma a necessidade dum princípio irredutível ao domínio físico-químico para explicar os fenômenos vitais), intuitivo, emocional, pois supõe que os esquemas e sistemas que a razão impõe não são senão rígidos bloqueios que impedem o livre desenvolvimento do ser humano. 

Diferente de Schopenhauer, a vontade "nietzscheana" se reveste de otimismo. La razão, que em suas primeiras obras identifica com o "espírito apolíneo", se opõe à vontade humana, que Nietzsche define como "espírito dionisíaco", isto é, livre, vitalista, hedonista, irreflexivo. 
 

Schopenhauer

Foi também capaz de elaborar uma das primeiras críticas à moral burguesa, herdeira da filosofia grega - em especial Platão - e ao cristianismo. Não gostava da escala de valores que a burguesia propunha, que considerava fruto do ressentimento e da debilidade. Sua tese é que, ao propor como valores a humildade, a utilidade ou a benevolência, a moral burguesa é própria para espíritos débeis e apagados, não era própria para homens livres, "senhores". É nestes homens livres que está a possibilidade de se chegar a ser o que Nietzsche define como "super-homens", cujo âmbito de atuação não está sujeito a restrições e se encontra, por isto, mais além do bem e do mal. Neste momento, o "super-homem" é um espírito vitalista, liberado, e pode mostrar a principal de suas características: a fortaleza, a potência, a vontade de dominação. 

A influência do evolucionismo de Darwin se acha presente no pensamento de Nietzsche, se bem que com grandes matizações. 
 

Darwin

O estado superior de desenvolvimento humano corresponde ao "super-homem", que lhe permite contemplar a historia como um processo de aperfeiçoamento e melhora, no que o homem, para poder superar etapas anteriores caracterizadas pela debilidade e o acomodamento, é capaz de impor sua vontade de poder e domínio sobre todo o que lhe rodeia. Esta dupla capacidade humana, de destruição das antigas e obsoletas restrições, e de criação, a partir de sua própria vontade, é o que lhe assemelha à divindade, a Deus. Precisamente o homem compreende agora que Deus não foi senão um instrumento de sua própria criação, una ferramenta útil tão só em etapas anteriores de debilidade e fraqueza. Ao tomar consciência de seu próprio poder, o " super-homem " destrói a um Deus que já não necessita e passa a ocupar seu lugar: "Deus Morreu", dirá Nietzsche. 

Sem dúvida, desaprova a linearidade da concepção tradicional da historia e introduz um novo elemento: la circularidade. Com ela, la historia se assemelha a uma roda que gira constantemente e onde os acontecimentos se repetem sem cesar, num "eterno retorno" causado pela finitude do universo e o número limitado dos elementos que o compõe. 
 

Nietzsche

As obras de Nietzsche refletem a evolução de seu próprio pensamento. Assim, na primeira etapa, marcada pela abordagem da dicotomia apolíneo/dionisíaco, realiza uma análise da filosofia grega, que corresponde a escritura do "A origem da tragédia" (1872) e "Considerações extemporâneas" (1873-76). É nestas obras onde mostra sua crítica ao império da a razão sobre a vontade humana, imposto primeiro pelos gregos e em seguida, pelo cristianismo. 

A publicação de "Humano, demasiado humano" (1878), "Aurora" (1881) e "A gaya ciência" (1882) marcam uma segunda etapa em seu pensamento, onde Nietzsche profunda seu ateísmo. Ele permitiu certas concessões à razão, ao homenagear a figura de Voltaire na primeira parte de "Humano, demasiado humano". Porém, em "Aurora. Reflexiones sobre os prejuízos morais", inicia seu feroz ataque sobre la moral tradicional cristã, representada nesse momento pela burguesia. Nietzsche dirá: "La humanidade não marcha pelo caminho reto porque tem sido governada pelos fracassados, os astutos vingativos, os chamados "santos", esses caluniadores do mundo e violadores do homem". 
 

Nietzsche

Ao final da década dos oitenta inicia um período de fecunda atividade. É agora que ele publica "Assim falava Zaratustra" (1883-85), "Além do bem e do mal, prelúdio de uma filosofia do futuro" (1886), "A genealogia da moral" (1887), e as editadas postumamente: "Ecce homo", "O Anticristo, maldição contra o cristianismo", "Ditirambos de Dionísio", "O caso Wagner, um problema para amantes de la música", "Crepúsculo dos ídolos" e "A vontade de poder" (1906). É nesta etapa onde ele se reafirma em sua crítica à moral cristão-burguesa, em seu ateísmo, e onde perfila os conceitos de "super-homem", "vontade de poder" e "eterno retorno". A dificuldade de interpretação do pensamento "nietzscheano", provocadas pela ambigüidade de suas expressões e a manipulação de seus escritos publicados depois de sua morte, por conta de sua irmã, geraram diversas apropriações da figura e do pensamento do filósofo alemão. Assim aconteceu com o nazismo, que se apropriou de um conceito de "super-homem" simplificado y tergiversado, ajustando a seus próprios interesses. Por sua vez, o marxismo também realizou sua própria interpretação, entendendo ao " super-homem" como la culminação da dialética histórica representada pela luta de classes. Com maior profundidade e capacidade de aproximação, os trabalhos de outro filósofo, Martín Heidegger, permitem conhecer e compreender o pensamento de Nietzsche em sua globalidade e contexto.
 

Heidegger

Seu estilo era aforismático, escrito em trechos concisos, muitas vezes de uma só página, e dos quais são pinçadas máximas. Muitas de suas frases se tornaram famosas, sendo repetidas nos mais diversos contextos, gerando muitas distorções e confusões. Algumas delas:
 

1. "Deus está morto. Viva Perigosamente. Qual o melhor remédio? - Vitória!" 
2. "Há homens que já nascem póstumos." 
3. "O Evangelho morreu na cruz." 
4. "A diferença fundamental entre as duas religiões da decadência: o budismo não promete, mas assegura. O cristianismo promete tudo, mas não cumpre nada." 
5. "Quando se coloca o centro de gravidade da vida não na vida mas no “além” - no nada -, tira-se à vida o seu centro de gravidade." 
6. "Para ler o Novo Testamento é conveniente calçar luvas. Diante de tanta sujeira, tal atitude é necessária." 
7. "O cristianismo foi, até o momento, a maior desgraça da humanidade, por ter desprezado o Corpo." 
8. "A fé é querer ignorar tudo aquilo que é verdade." 
9. "As convicções são cárceres." 
10. "As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras." 
11. "Até os mais corajosos raramente têm a coragem para aquilo que realmente sabem." 
12. "Aquilo que não me destrói fortalece-me" 
13. "Sem música, a vida seria um erro." 
14. "A moralidade é o instinto do rebanho no indivíduo." 
15. "O idealista é incorrigível: se é expulso do seu céu, faz um ideal do seu inferno." 
16. "Em qualquer lugar onde encontro uma criatura viva, encontro desejo de poder." 
17. "Um político divide os seres humanos em duas classes: instrumentos e inimigos." 
18. "Quanto mais me elevo, menor eu pareço aos olhos de quem não sabe voar."

Nietzsche


Esta página é assinada pelos fundadores 
do Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
Zelinda Orlandi Hypolito
e Arsenio Hypollito Junior


Qualquer consulta poderá ser efetuada clickando na figura ao lado




Reprograme a sua vida!!!...
SUGESTÕES MÁGICKAS
as fitas que alteram comportamento sem que você tenha que fazer o menor esforço.


 Clicke na foto ao lado para obter maiores informações.

 
Volta para "Nossa Turma"
Vai para "Sistemas Mágicos"
 
 
   


Vai para Índice Geral Imagick
 


Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
0xx-11-3813.4123
 
 
 
 
 
 


Página criada por
Imagick Edições e Comunicações Visuais







Quem somos O Imagick A Cidade das Estrelas A Irmandade das Estrelas Programação de Atividades Nossa Turma (Biografias) Contatos / Redes Sociais Cursos e Vivências Cursos Imagick ao Vivo Cursos e Vivências em CDs Cursos e Vivências em DVDs Programe sua Mente Reprograme sua Mente Vivências Externas Consultas Online Consulta Gratuita de Tarot I Ching Gratuito Runas Grátis Consulta ao Mestre Nazareno Reicki a Distãncia Oráckulo - Mensagem do Dia Pantáculos Zodiacais O Baú Magicko da Bruxa Pratickas Saude Magicka Treinamentos Magickos Meditações Magickas Orações Magickas Pensamento Magicko Consultas Pessoais Consulta Particular de Tarot Regressão de Memória Criação de Pantáculos Artigos Novidades Psiquê Mágicka Sistemas Mágickos Artigos Intrigantes Mistérios Curiosos Tradições Religiosas Comportamento Mágicko Música Magicka Notícias Mágickas Divertimentos Magickos Matemática Curiosa Variedades Significativas Ilusões Magickas Paginas Selecionadas Boletins Magickos Midia Fotos Magickas Videos Magickos Livros e Publicações Links Parceiros Imagicklan Nossa História Amor Incondicional Anjos e Demônios Consultas Gratis Vossos Deuses Deuses Egípicios Tipos de Magia Ser Bruxa Imagens de Jesus Reprograme sua Mente Cura pelo Pensamento Poder da Palavra Programação Mental Vida Secreta de Jesus A Pessoa de Jesus Tratamento Vidas Passadas Sistemas Alternativos Ritual de Pacto de Amor Bruxarias Magickas Runas e Numerologia Inscrição