Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
..
Física Quântica
..
...
     

    OS PORTAIS PARA UMA NOVA REALIDADE
    .

    Por: Márcia Maranhão Limongi
    .
Você sabia que os pontos de vista estabelecidos pela física (clássica e moderna) acabam influenciando toda a sua vida, suas crenças e seu modo de pensar ? Conheça aqui como as teorias evoluíram e como a física quântica, com potencial para explicar várias áreas do conhecimento humano, aos poucos lança uma luz sobre os fenômenos até agora desprezados pela ciência.

PARTE 1 

DA FÍSICA CLÁSSICA À FÍSICA QUÂNTICA

A GRANDE EVOLUÇÃO

    .
    A física, como ciência exata, sempre foi considerada o principal pilar onde se baseavam todas as outras ciências. Desde o século 18, a física clássica reinou absoluta em seus conceitos delineados por Newton, Descartes e Bacon, que defendiam a matéria como a base de tudo que existe e as relações de causa e efeito; a matéria era homogênea, composta de partículas sólidas, que obedeciam às leis imutáveis de forças de movimento. Segundo esses princípios, o universo teria uma visão mecanicista: tudo na natureza seguia leis exatas e mecânicas e havia uma perfeita organização entre o movimento do todo e suas partes. Ou seja, peças isoladas juntavam-se para formar o todo e da mesma forma teriam que ser investigadas separadamente para serem entendidas em suas interações. Nós, seres humanos, não passávamos de “máquinas vivas”, além de meros observadores, e em nada poderíamos influenciar na mecânica do universo.  O livre-arbítrio não existia, todas as coisas seguiam um movimento predeterminado e previsível. Esse princípio reducionista da realidade permeou todas as áreas do conhecimento humano até agora, como a política, a sociologia, a psicologia, a medicina e a economia.

    No final do século 19, cientistas como Clerk Maxwell, com seus conceitos de eletrodinâmica, e Darwin, com a teoria da evolução, começaram a abalar os rígidos preceitos tomados como certos até então. Mas foi no início do nosso século, ao mergulhar na investigação dos fenômenos atômicos e deparando-se com a teoria da relatividade de Einstein e a teoria quântica desenvolvida anos mais tarde, é que a física clássica desmoronou em sua base newtoniano-cartesiana: a complexidade do universo que agora se apresentava não cabia mais em suas entranhas. 

    Amit Goswami, Ph.D. em física pela Universidade de Calcutá e professor na Universidade de Oregon, Eugene, é autor da obra Quantum Machanics, de quatro volumes, que aborda o tema. Goswami é pioneiro da ciência idealista baseada na primazia da consciência e cujo conceito foi desenvolvido em seu livro The Self-Aware Universe – Science Within Consciousness, (publicado pelo Institute of Noetic Sciences), no qual aplica esse novo paradigma na integração das psicologias e na fundação de uma nova medicina e biologia integradas. 

    O professor tem certeza de que essa ciência possui o potencial de abranger toda a cadeia do ser, estabelecendo assim um novo paralelismo biopsicofísico.

    Esse novo paradigma da ciência pode explicar racionalmente a psicologia transpessoal (que estuda os diversos estados de consciência) e outros campos de conhecimento que estão surgindo atualmente. Para isso, uma das suas prioridades é a explicação do papel da consciência, a qual é fundamental no entendimento da mecânica quântica. Para compreendermos o quanto a consciência é importante, temos antes de entender um dos princípios básicos da física quântica que se opuseram literalmente à física clássica: se dividimos um objeto em pedaços cada vez menores e chegamos às unidades subatômicas (elétrons, prótons, etc), descobrimos que elas não são sólidas e não mantém mais as características desse objeto. E mais: essas unidades não tem dimensão e podem se manifestar tanto em forma de partícula como em forma de onda, dependendo da situação, embora não sejam nem uma nem outra. Sua natureza, na verdade, não é a de um objeto como o conhecemos. Essas manifestações eram chamadas de quanta (plural de quantum = partícula de onda, de onde veio a expressão “quântico”) e podem constituir a matéria-prima de todo o cosmo. A natureza “mutante” da matéria (também comum para a luz, os raios gama, raio X e ondas de rádio) foi uma pílula difícil de engolir pelos cientistas ortodoxos e os forçou a redimensionar teorias sobre o conceito da realidade da matéria.  Eles constataram que não podem afirmar com certeza a sua existência, só podem dizer que ela “tende a existir” e que os eventos atômicos não ocorrem no tempo e do modo esperados, mas possuem “tendência a ocorrer”, o que a física chama de probabilidades. 
     
     

    PARTE 2 

    A IMPORTÂNCIA DA CONSCIÊNCIA

    O “DESPERTAR”

    Veja como a consciência materializa a realidade à sua volta. Ela é a base de tudo. Ao perguntar a Goswami se a alma ia gradativamente se desenvolvendo até alcançar a realidade divina, ele disse: “Não. Ela já tem tudo, só que ainda não acordou para isso”. 

    Nas palavras de Goswami, “as coisas não são coisas, na verdade as coisas são meras probabilidades, a despeito da dificuldade que vocês possam ter para crer nisso”. Ou seja, você é capaz de acreditar que a sala onde está poderia desaparecer se não estivesse nela ? A primeira dificuldade é crer que a possibilidade possa ser real. Assim, nossa noção de realidade precisa ser estendida. A física quântica diz que somos talvez até mais reais do que nós entendemos como um aspecto puramente sólido.  Na alegoria da caverna de Platão há uma noção similar, pois o que existe na realidade são formas arquetípicas e o mundo é um reflexo, sombras dessas formas. É o mesmo na cultura hindu, a qual afirma que o nome aparece antes da coisa (uma vez que existe a idéia da coisa a que se dá o nome). As culturas muçulmana e cristã referem-se a esse fenômeno como “objetos de Paraíso”, primeiro surgindo de uma forma mais abstrata para depois se materializarem. 

    E como essa “materialização” acontece ? É aí que entra a consciência: os objetos são possibilidades de existência enquanto nós não os estamos observando. Só quando você passa a testemunhar um determinado objeto é que ele se torna uma entidade tangível e concreta.  Segundo o ponto de vista da física, quando você está testemunhando algum objeto, suas partículas têm uma posição fixa e definida; quando sua atenção se desvia, essas mesmas partículas podem estar em lugares e situações diferentes.  O objeto pode estar em mais de um lugar ao mesmo tempo porque ele também tem uma natureza de onda. Quando você observa, a onda entra em “colapso”, ou seja, ela se transforma em uma partícula. A materialização dessas ondas acontece instantaneamente, sem intervalo de tempo e sem local definido. Nesse ponto, o que passa pelas nossas cabeças é que esse fenômeno só comprova o conceito que “a mente atua sobre a matéria”, e aí ouvimos de Goswami um sonoro “não” – isso é um argumento dos materialistas. A consciência por natureza já possui a característica de materializar implícita nela mesma. Ela reconhece uma dessas possibilidades, e é essa a possibilidade que ela escolhe. 

    .                                        .

    Para entender melhor o raciocínio, veja o desenho ao lado, que apresenta duas imagens diferentes, de uma moça ou de uma anciã. 
    Quando vemos uma ou outra, estamos reconhecendo aquela versão, não estamos atuando sobre o desenho. Essa é uma demonstração de como a consciência opta por um tipo de colapso em termos de materialização de um determinado evento. Isso só é possível se encararmos a consciência como a base de tudo. A matéria, por sua vez, é uma das diversas probabilidades de manifestação da consciência.

    Em resumo, a consciência tem as seguintes características: sua natureza é transcendente, está além do espaço-tempo; não é de natureza dualística; não é só uma possibilidade; ela converte a possibilidade em evento através do reconhecimento e escolha; e a mais importante, nós somos essa consciência. A natureza da consciência é uma questão amplamente discutida, mas alega-se que em organismos superiores, além da autoconsciência e da consciência individual, existe a consciência do coletivo (consciência coletiva, a que Jung se refere) e também níveis planetários e cósmicos de consciência, onde esta é vista como “realidade última”, ligada ao divino nas tradições místicas e espirituais. 

    A física quântica apóia alguns conceitos espirituais e os da psicologia transpessoal na medida em que eles tentam dissolver o véu de condicionamentos e postulados antigos para a mente poder “acordar” e atingir outros níveis mais elevados de consciência. A meditação e a maioria das tecnologias do sagrado apresentam a mesma finalidade.
     

    PARTE 3 

    AS MANIFESTAÇÕES DA CONSCIÊNCIA 

    A EVOLUÇÃO/ A REENCARNAÇÃO

    Durante a entrevista, Goswami expôs o vasto alcance desta nova ciência, que abrange aspectos complementares à teoria da evolução, a integração das medicinas orientais e ocidentais, uma nova abordagem para compreender o fenômeno da kundalini( o “nervo da alma”, enroscada na base da espinha humana e o contato entre a energia criativa divina e a energia sexual física) e uma teoria de sobrevivência e reencarnação, explicados a seguir.

    As tradições esotéricas sugerem que a consciência não tem só a possibilidade relacionada à parte material, mas possui outras alternativas inerentes. Nos Upanixades hindus e na cabala judaica, isso é expresso afirmando-se que a consciência é uma superposição de níveis de cinco corpos. O físico, o vital e o mental são corpos de natureza densa, de substância; acima deles, o corpo causal, que proporciona o contexto de movimento dos três corpos abaixo dele e contém todas as leis da física. Mas todos eles não são nada mais do que manifestações da consciência, o corpo cósmico, que pode transcender todos os demais. Os corpos vital e mental interagem com o físico intermediados pela consciência. Um exemplo disso é que ela também pode “colapsar” partículas simultaneamente em dois cérebros diferentes e transferir informação – o que constitui uma explicação para a telepatia, que utiliza também o corpo mental. O mental e o vital unem-se no corpo físico e dão-lhe significado. O físico pode ser experimentado com algo externo, fora de nós, e tem uma realidade micro e macro que pode ser compartilhada.

    Da mesma forma que o corpo físico tem vida, há mapas de vida no corpo vital – o vital e o mental são corpos quânticos, a mente não tem divisão micro e macro, e diferem do físico porque obedecem ao princípio da incerteza no que tange à sua posição e velocidade. Isso se traduz no fato de não detectarmos a energia vital de alguém e o pensamento felizmente não ser compartilhado com outras pessoas, pois ocorre instantaneamente.
    O corpo vital é igualmente atuante em certos pontos da evolução, que também podem ser encarados como processos quânticos. Embora a evolução contínua esteja bem explicada pela teoria darwinista, alguns biólogos convencionais acreditam que a possibilidade de mutação se transforma em mutação real automaticamente. Mas Goswami afirma que essa possibilidade não se torna realidade até o momento em que a consciência observa e escolhe aquela possibilidade como a que vai vingar – e é através dessa observação e escolha que a consciência introduz propósitos criativos no mundo. 

    O cientista inglês Rupert Sheldrake desenvolveu a teoria de Campo Morfogenético, que seria a matriz de toda a forma e evolução constantes nos programas do corpo vital e que são mapeados no físico através do fenômeno de ressonância mórfica. A física quântica desenvolveu o conceito de que é pela ressonância mórfica que a consciência escolhe a atualidade proposital dentre todas as possibilidades que a mutação pode criar. Essa abordagem nos permite agora entender a cura corpo-mente, onde não pode ser descartado o papel preponderante da energia vital. O corpo físico mapeia o corpo vital, mas esse mapeamento pode ficar desconexo – o que não deveria ser um problema, na medida em que temos acesso ao corpo vital, pois o registro inicial está lá e com esse acesso poderemos fazer mapas mais criativos. Os chacras são pontos onde o corpo físico e vital se convergem e nos dão uma idéia de como a energia vital (prana) mantém seu fluxo: os românticos sabem o que é sentir “uma angústia no peito”, e os nervosos, uma sensação desagradável na altura do estômago – são movimentos condicionados do prana. 

    Na kundalini ioga, uma das mais importantes tecnologias do sagrado, a pessoa busca mudar esses movimentos condicionados para movimentos novos do prana. Ativar a kundalini significa a conquista do poder interno, da sabedoria e da iluminação. Elevar a kundalini significa ter mais acesso ao corpo vital e fazer novos mapas, pois é a criatividade do corpo 
    trabalhando uma energia que antes não estava sendo usada e mapeada no físico. Se você ingressa nisso com um tipo de idéia criativa, o resultado vem de forma muito acelerada. A criatividade pode ser vista como “um salto quântico”, o que na verdade significa que o pensamento pode “pular” de um lugar para outro sem percorrer a distância que os separa. A onda desta forma “colapsa”, mudando a consciência, trazendo um conhecimento súbito, uma idéia, uma intuição. 

    Do ponto de vista cosmológico, a evolução se dá de maneira mais complexa. Os materialistas vêem seu início a partir do Big Bang, e daí o universo evolui dentro de uma forma determinística, não existindo espaço para uma consciência causal.  Já na visão esotérica, as coisas iniciam-se a partir da consciência, que quer enxergar-se separada de si própria: ela guia o corpo causal (onde estão registradas as leis e regras), o qual vai reunir todos os demais corpos, iniciando um processo gradual de auto-esquecimento que vai do corpo mental e vital até o físico. Mas a estrutura física continua evoluindo e chega a um ponto em que está pronta para receber um determinado mapeamento do vital para o físico – isso é o que chamamos de evolução da vida. Numa fase posterior, o mapeamento do mental no vital pode ser feito – isso nós chamamos de evolução mental, a grande evolução que estamos vendo à nossa frente. 

    O vital e o mental sobrevivem ao corpo físico, e as experiências de reencarnação são prova direta disso. Com base num conceito denominado “memória quântica”, criou-se um modelo que “toma” para si mesmo os padrões de carma de um corpo encarnado para outro que encarnará no futuro. Alguns aspectos da consciência são imperecíveis e a consciência precisa existir, pois em ela a natureza quântica simplesmente não seria o que é. 

    “Estamos enfim desenvolvendo uma física da alma. Chegou a hora”, frisa Goswami.

     
    Por: Márcia Maranhão Limongi 
    Psicóloga atuante nas áreas:
    Clínica - Diretora do Instituto Parágono;
    Escolar - Consultora, ministra cursos para professores, 
    diretores e mantenedores em sindicatos, escolas e universidades;
    Industrial - consultora de Treinamento e Desenvolvimento para Chefias e Executivos;
    Consultoria em psicologia para editoras, com mais de 300 artigos publicados em várias revistas.

    Para eventuais contatos com a autora:
    mmlimongi@terra.com.br

    Artigo já publicado na Revista “Planeta”
    Edição 291

..


Entre em contato conosco
para obter maiores informações...

irmandade@imagick.org.br
(11) 3813.4123 - (11) 9905.6685

 
 Volta para página inicial 
 Vai para atividades do mês
 Volta para Índice Geral do Imagick

boletim@imagick.org.br
 
 


Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick
Uma escola moderna de magia
(0xx) (11) 3813.4123
 
 
 


Página desenvolvida por:
Imagick Edições e Comunicações Visuais


 

Quem somos O Imagick A Cidade das Estrelas A Irmandade das Estrelas Programação de Atividades Nossa Turma (Biografias) Contatos / Redes Sociais Cursos e Vivências Cursos Imagick ao Vivo Cursos e Vivências em CDs Cursos e Vivências em DVDs Programe sua Mente Reprograme sua Mente Vivências Externas Consultas Online Consulta Gratuita de Tarot I Ching Gratuito Runas Grátis Consulta ao Mestre Nazareno Reicki a Distãncia Oráckulo - Mensagem do Dia Pantáculos Zodiacais O Baú Magicko da Bruxa Pratickas Saude Magicka Treinamentos Magickos Meditações Magickas Orações Magickas Pensamento Magicko Consultas Pessoais Consulta Particular de Tarot Regressão de Memória Criação de Pantáculos Artigos Novidades Psiquê Mágicka Sistemas Mágickos Artigos Intrigantes Mistérios Curiosos Tradições Religiosas Comportamento Mágicko Música Magicka Notícias Mágickas Divertimentos Magickos Matemática Curiosa Variedades Significativas Ilusões Magickas Paginas Selecionadas Boletins Magickos Midia Fotos Magickas Videos Magickos Livros e Publicações Links Parceiros Imagicklan Nossa História Amor Incondicional Anjos e Demônios Consultas Gratis Vossos Deuses Deuses Egípicios Tipos de Magia Ser Bruxa Imagens de Jesus Reprograme sua Mente Cura pelo Pensamento Poder da Palavra Programação Mental Vida Secreta de Jesus A Pessoa de Jesus Tratamento Vidas Passadas Sistemas Alternativos Ritual de Pacto de Amor Bruxarias Magickas Runas e Numerologia Inscrição